Cardo Mariano - Benefícios para a Saúde

  • 0
  • agosto 12, 2014

O componente activo – aquele que protege o fígado – do cardo mariano é conhecido como silimarina. A silimarina consiste num grupo de flavonóides (silibinina, silidianina e silicristina), que se pensa poderem ajudar a reparar as células do fígado danificado pelo álcool e por outras substâncias tóxicas.

A silimarina evita também que as novas células do fígado sejam destruídas por estas mesmas toxinas. Esta substância reduz a inflamação (pelo que é frequentemente sugerida para as pessoas com inflamação do fígado ou hepatite), e é um forte antioxidante.

A maioria dos produtos de silicristina são preparações padronizadas feitas a partir das sementes da planta. A maior parte das preparações têm um conteúdo de 70% a 80% de silimarina.

Doença hepática provocada pelas bebidas alcoólicas

O cardo mariano é frequentemente apontado como um tratamento para a doença hepática e para a cirrose causadas pelas bebidas alcoólicas. No entanto, os estudos científicos têm resultados mistos. A maioria dos estudos demonstra que o cardo mariano melhora a função hepática e aumenta a longevidade nas pessoas com cirrose ou hepatite crónica. Contudo, problemas na concepção dos estudos (como o pequeno número de participantes e as diferenças na dose e duração do tratamento) dificultam a tirada de quaisquer conclusões.

A hepatite viral

O cardo mariano é amplamente utilizado no tratamento da hepatite viral (particularmente a hepatite C). Contudo, os estudos demonstram resultados mistos. Alguns registaram melhorias na função hepática, enquanto que outros não. Nenhum dos estudos comparou o cardo mariano com o Interferon ou com outros medicamentos para a hepatite viral.

Intoxicação com cogumelos

Com base no uso tradicional, o cardo mariano tem sido utilizado como um antídoto de emergência em intoxicações com cicuta verde (amanita phalloides). Em estudos realizados em animais, descobriu-se que o extracto de cardo mariano neutraliza completamente os efeitos tóxicos do cogumelo quando administrado dentro de 10 minutos após a ingestão. Se for administrado no prazo de 24 horas, reduz significativamente o risco de dano hepático e de morte.

Cancro

Estudos laboratoriais recentes sugerem também que a silimarina e outras substâncias activas do cardo mariano podem ter efeitos anti-cancerígenos. Aparentemente, estas substâncias impedem a divisão e a reprodução das células cancerosas, encurtam a sua vida e reduzem o fornecimento de sangue aos tumores. Contudo, é necessário realizar mais estudos para demonstrar se o cardo mariano tem efeitos no organismo (não apenas nos tubos de ensaio).

Joana Layna

Sobre Joana Layna

A Joana trabalha como escritora e editora desde 2005, seu trabalho tem aparecido em revistas e antologias em todo o mundo. A Joana, que é licenciada em Jornalismo, atualmente se concentra em diversos tópicos, incluindo estilo de vida saudável, família, animais de estimação e nutrição.

Deixe um Comentário