Centeio – Benefícios para a Saúde

  • 0
  • agosto 12, 2014

Nos Estados Unidos, onde os produtos de trigo são o modelo, os produtos feitos à base de centeio raramente têm um espaço de destaque nas prateleiras dos mercados e, se as pessoas não os vêem, não os adquirem.

Mas vale a pena procurar alimentos feitos de centeio, não só pelo seu sabor rico e intenso, mas pelos seus inúmeros benefícios para saúde. Como a maioria dos cereais, o centeio está disponível durante todo o ano.

A fibra do centeio estimula a perda de peso

O centeio é uma boa fonte de fibra, que é particularmente importante nos Estados Unidos, uma vez que a maioria dos americanos não consomem fibra suficiente. A fibra do centeio é muito rica em polissacarídeos não amiláceos, que possuem uma elevada capacidade de ligação com a água e que dão rapidamente uma sensação de plenitude e saciedade, fazendo do pão de centeio uma verdadeira ajuda para quem desejar perder peso. Uma chávena de creme de centeio fornece 17,3% do valor diário de fibras.

Ajuda na prevenção de cálculos biliares

Um estudo revela que a ingestão de alimentos ricos em fibras insolúveis, como o centeio, pode ajudar as mulheres a evitar os cálculos biliares.
Os pesquisadores descobriram que aquelas que consumiram mais fibras (solúveis e insolúveis) tinham 13% de menor risco de desenvolver cálculos biliares, em comparação com as mulheres que consumiram alimentos com um teor de fibras mínimo.

A melhor opção para pessoas com diabetes

O pão de centeio poderá ser uma hipótese melhor do que o pão de trigo para pessoas com diabetes. Num estudo concluiu-se que o pão feito de trigo estimula uma resposta maior à insulina do que o pão de centeio.

A fibra combate a diabetes e as doenças cardiovasculares e estimula a saúde gastrointestinal

Para além de ser eficaz na perda de peso, a fibra provou ser eficaz numa variedade de doenças diferentes. Uma das propriedades mais importantes da fibra é a sua capacidade de se ligar às toxinas existentes no cólon e removê-las do organismo.

Quando se liga a substâncias cancerígenas, a fibra ajuda a proteger as células do cólon, pelo que uma alimentação rica em fibras previne contra o cancro do cólon. Quando a fibra se liga aos sais biliares no intestino e os remove do organismo, este é obrigado a produzir mais sais biliares. Isto é bom, porque o organismo deve neutralizar o colesterol para produzir bílis. Isto explica a razão de uma boa ingestão de fibras poder ajudar a diminuir níveis elevados de colesterol.

Devido ao seu elevado teor em fibras, os alimentos de centeio podem ajudar a prevenir níveis altos de açúcar no sangue em pacientes diabéticos, contribuindo assim para o controlo do açúcar no sangue.

Benefícios cardiovasculares significativos para mulheres na pós-menopausa

Ingerir uma dose de cereais integrais como o centeio pelo menos seis vezes por semana é uma ideia especialmente boa para as mulheres na pós-menopausa que tenham níveis altos de colesterol, pressão arterial elevada ou outros sinais de doença cardiovascular (DCV).

As lignanas oferecem protecção contra as doenças cardíacas

Um tipo de fitonutriente especialmente abundante nos cereais integrais como o centeio são as lignanas vegetais, que são convertidas nos nossos intestinos em lignanas de mamíferos pela flora intestinal, incluindo numa denominada enterolactona que se acredita proteger contra o cancro da mama e contra outros cancros provocados por hormonas, e ainda contra doenças cardíacas.

Além dos cereais integrais, os frutos secos, as sementes e as bagas são fontes ricas em lignanas vegetais, e os produtos hortícolas, as frutas e as bebidas como o café, o chá e o vinho também as contêm.

Quando, foram medidos os níveis de enterolactona no sangue em mais de 800 mulheres na pós-menopausa, ficou demonstrado que as mulheres que ingeriram cereais integrais em maior quantidade tinham níveis mais elevados destas lignanas protectoras no sangue. As mulheres que ingeriram repolhos e hortaliças tinham também níveis mais elevados de enterolactona.

O centeio pode aliviar a fase da menopausa e ajudar a prevenir contra o cancro da mama

O centeio pode também ser eficaz na menopausa porque contém um tipo de lignana que tem actividade fitoestrogénica. No organismo, os fitoestrogénios actuam de certa forma como os estrogénios naturais e, embora o seu efeito seja muito mais fraco, podem ajudar a normalizar a actividade estrogénica.

Para algumas mulheres, os fitoestrogénios do centeio são suficientemente fortes para ajudar a evitar ou reduzir os sintomas desconfortáveis associados à menopausa, como afrontamentos, que se pensa terem origem no decréscimo dos níveis de estrogénio. Por outro lado, quando estes níveis são muito elevados, as lignanas do centeio ocupam os receptores de estrogénio, bloqueando deste modo os muito mais fortes estrogénios humanos, o que provoca uma diminuição da actividade estrogénica e proporciona uma potencial protecção contra o cancro da mama.

Protecção contra o cancro da mama pelas fibras dos cereais integrais e da fruta

Quando os investigadores observaram a quantidade de fibra ingerida, descobriram que uma alimentação rica em fibras de cereais integrais como o centeio, e em fibras da fruta proporcionava uma protecção significativa contra o cancro da mama em mulheres na pré-menopausa.

As mulheres na pré-menopausa que ingeriam mais fibras (mais de 30 gramas/dia) tinham menos de metade do risco de desenvolver cancro da mama, e 52% de menor risco de cancro da mama comparativamente às mulheres cuja alimentação fornecia uma quantidade mínima de fibras (menos de 20 g/dia).

Protecção contra o cancro da mama na pós-menopausa pelas fibras dos cereais integrais e da fruta

Os resultados de um estudo prospectivo com 51.823 mulheres na pós-menopausa com uma média de 8,3 anos demonstraram uma redução de 34% do risco de cancro da mama nas que consumiram maior quantidade de fibra de fruta, comparativamente àquelas que consumiram uma quantidade mínima.

Além disso, no subgrupo de mulheres que já tinham feito tratamentos de compensação hormonal, aquelas que consumiram mais fibra, especialmente fibra de cereal, demonstraram uma redução de 50% do risco de cancro da mama em comparação com as que consumiram o mínimo de fibras.

Joana Layna

Sobre Joana Layna

A Joana trabalha como escritora e editora desde 2005, seu trabalho tem aparecido em revistas e antologias em todo o mundo. A Joana, que é licenciada em Jornalismo, atualmente se concentra em diversos tópicos, incluindo estilo de vida saudável, família, animais de estimação e nutrição.

Deixe um Comentário