História do Milho

  • 0
  • agosto 12, 2014

Os primeiros registos sobre o cultivo do milho datam de há cerca de 7.300 anos e foram encontrados em pequenas ilhas próximas junto ao litoral do México.

O seu nome, de origem indígena caribenha, significa “sustento da vida”.

Tem sido a alimentação básica de várias civilizações nativas importantes ao longo dos séculos.
Os Olmecas, Maias, Astecas e Incas veneravam este cereal tanto na arte, como na religião.

A maior parte das suas actividades diárias estavam ligadas ao seu cultivo.
O milho tem representado e continua a desempenhar um papel vital em culturas nativas.
Tem sido muito reverenciado pela sua capacidade de fornecer não só o sustento como alimento, mas também como abrigo, combustível, decoração e tantas outras coisas.

Os pratos tradicionais feitos com milho, incluíram muitas vezes uma pequena quantidade de cal, o óxido de cálcio, complexo mineral que pode ser feito por queima do calcário.
O calcário é uma rocha sedimentar que é composta de carbonato de cálcio e encontra-se em todos os Estados Unidos.

Esta cal, adicionada à farinha de milho, é obtida a partir das cinzas do fogo, porque uma pequena quantidade de cal é produzida apenas a partir da queima de madeira em cinzas.
A razão para este processo era simples: as pessoas pareciam mais saudáveis quando o pote das cinzas era adicionado.

Agora sabemos porquê.
A niacina (vitamina B3) na cultura do milho não está prontamente disponível para ser consumida pelo organismo e a cal ajuda a libertar essa vitamina B, tornando-a assim disponível para a respectiva absorção.

Quando Cristóvão Colombo e outros exploradores chegaram ao Novo Mundo, encontraram o milho, em todas as Américas, desde o Chile até ao Canadá.
Aliás, o milho já era cultivado na América há pelo menos 4.000 anos.
Foi consumido como legume e como um grão sob a forma de farinha de milho temperada e comido para acompanhamento de outros legumes, peixe ou carne.

O milho, não está limitado apenas às variedades de grãos do tipo amarelo e branco que nós tradicionalmente conhecemos, pois existem muitas outras variedades, também populares, que originam grãos de cor vermelha, azul, rosa, preto e não apenas somente uma cor sólida, manchada ou listada.

O milho foi trazido de volta à Europa por exploradores espanhóis e portugueses, que mais tarde o espalharam no mundo todo.

Entretanto, muitos dos exploradores europeus mais próximos da América do Norte, ignoraram as tradições dos nativos americanos, incluindo o pote das cinzas, o que causou, por falta da vitamina B3, a propagação de uma doença chamada pelagra (doença causada pela falta de niacina – ácido nicotínico ou vitamina B ou ainda vitamina PP, sendo também conhecida pela doença dos 3 “D”: Dermatite, Diarreia e Demência).

Hoje, os maiores produtores de milho comercial incluem os Estados Unidos, a China, a Índia, o Brasil, a França, a Indonésia, o México, a África do Sul e a Rússia.

Valentim Bolivar

Sobre Valentim Bolivar

O Valentim tem escrito desde 2008 no i-legumes ele trabalha como editor de fitness e saúde para o i-legumes. O Valentim é especializado em Jornalismo.

Deixe um Comentário