tomatestomate plantatomate cortado tomates Clique nas fotos para ampliar

Cavalinha



 

 

A cavalinha (Equisetum Ssp.), constitui a única espécie da família das equisetáceas. O seu nome é de origem latina e é composto por “equi" (cavalo) e "setum" (cauda), ou seja, rabo-de-cavalo.

A cavalinha é um remédio herbáceo que remonta pelo menos à antiga medicina grega e romana. Foi utilizado tradicionalmente para fazer parar de sangrar, para curar úlceras e feridas e para tratar a tuberculose e problemas renais. A cavalinha contém silicone, a qual desempenha um papel importante no fortalecimento dos ossos.

Por esse motivo, por vezes é sugerida como um tratamento para a osteoporose. Também é usada como diurético e como ingrediente nalguns cosméticos. No entanto, poucos estudos analisaram o efeito da cavalinha nos seres humanos.

 

 

A cavalinha é descendente de enormes plantas parecidas com árvores, que prosperaram acerca de 400 milhões de anos, durante a era Paleozóica.

Parente próximo da samambaia ou fetos, a cavalinha está adaptada a solos húmidos e, por ser agressiva e persistente, deve-se cuidar para que não se torne numa erva daninha.

É uma planta perene que não possui flores e, por consequência, não tem sementes.Algumas espécies possuem folhas verticiladas, mas reduzidas a um tamanho insignificante.

O caule é de cor verde, oco, fotossintético, fotossensível, com textura áspera ao tacto por causa da presença do silício e pode ser encontrado de duas maneiras:

- O caule fértil, geralmente curto, surge no início da Primavera.

Apresenta na extremidade a espiga produtora de esporos, que serve para a sua reprodução, mas que, porém, também pode ocorrer através de rizomas.

- O caule estéril, geralmente longo, surge depois de o caule fértil murchar.

Esta planta é comum nas cidades e está presente em todos continentes, à excepção da Austrália e Antárctica.

É uma planta perene e herbácea, com hastes ocas que parecem espargos e que seca no Inverno (para a maioria das espécies das zonas temperadas) ou mantém-se sempre verde (para algumas das espécies tropicais, mais a espécie temperada Equisetum Hyemale).

A maioria delas cresce entre 0,2 a 1,5 metros de altura, embora a Equisetum Telmateia possa excepcionalmente alcançar os 2,5 metros, a espécie tropical Equisetum Giganteum 5 metros e a Equisetum Myriochaetum 8 metros.

Como as espécies das regiões temperadas seca no Inverno, cristais de sílica que se formam no tronco e nos galhos parecem uma cauda de penas, dando à planta um efeito de lixa.

Isso explica a sua utilização histórica no polimento de metais, principalmente do estanho.

Nomes alternativos: 

Escova de Garrafa, Cavalo Salgueiro, Paddock-Pipes, Pewterwort, Rush Expurgo, Capim Barba, Toadpipe, Milho de Cobra, Erva-Carnuda, Rabo-de-Cavalo, Rabo-de-Rato, Cauda-de-Raposa, Rabo-de-Cobra, Cana-de-Jacaré, Erva-Canudo, Lixa-Vegetal, Cola-de-Cavalo, Equisetum Arvense, Equisetum Bogotense, Equisetum Diffusum, Equisetum Fluviatile, Equisetum Giganteum, Equisetum Hyemale, Equisetum Myriochaetum, Equisetum Palustre, Equisetum Pratense, Equisetum Sylvaticum, Equisetum Telmateia.

Deixe o seu comentário

 

 

Importante:
Este artigo e a informação presente não tem como objectivo servir de aconselhamento médico e não deverá nem poderá ser seguido como substituto de consulta médica.

O i-legumes.com apenas lista os nutrientes e os eventuais benefícios para a saúde de uma alimentação baseada em legumes. O site não pretende aconselhar sobre como curar sintomas, doenças ou condições e toda a informação aqui lista nunca deve ser seguida para alteração da sua alimentação ou hábitos de saúde. Consulte sempre o seu médico para aconselhamento sobre a sua alimentação e saúde.